Inteligência Emocional: Mantendo a saúde mental

Tempo de colocar em prática o que te faz bem

 Por: SESI São Paulo
04/05/202016:33- atualizado às 11:27 em 22/05/2020

Manter a mente sã é um exercício diário para todos. Mas em tempos difíceis como o que estamos passando, é muito mais importante focarmos em pensamentos e atitudes positivas para enfrentarmos juntos, firmes e fortes este isolamento social até que passe essa pandemia do Covid-19. Usar alguns princípios da inteligência emocional, com foco em manter a saúde mental, pode nos ajudar, e muito, a enfrentar esta fase que mudará a forma como vemos o mundo e as nossas atitudes.

 

Excesso de Informação pode se tornar prejudicial

Em tempos de redes sociais, temos uma avalanche de notícias e pontos de vistas. Por isso, muito cuidado com o excesso de informação, principalmente com “fake news”, pois ficar conectado o tempo todo, ligado nos noticiários, aumenta muito a sensação de incertezas e nos deixa com excessiva preocupação. Se perceber que todas estas informações te deixam com mal-estar e te tiram as forças para ter bons pensamentos e atitudes, se desconecte de tudo, coloque sua trilha de músicas preferidas e faça atividades que gerem bem-estar.

 

Exercitar o corpo faz muito bem à mente

Uma atividade que traz ótimos resultados para manter a cabeça sã, segundo a Sociedade Brasileira de Inteligência Emocional, são os exercícios físicos. Praticar atividade física ajuda a aliviar a mente, pois ao contrário do que muitos pensam, a sensação de relaxamento e de alívio das tensões não está unicamente ligada ao descanso. Por mais que seja um fato mais que comprovado que, para ter qualidade de vida e bem-estar, é necessário fazer pausas em meio à rotina estressante, dormir bem e descansar. Mas se mexer e cansar também podem trazer grandes benefícios tanto para o corpo como para a mente, proporcionando uma vida mais leve, feliz e relaxada.

A prática de exercícios é capaz de amenizar o estresse e fazer qualquer um encarar o dia a dia de forma mais tranquila. Além de favorecer o corpo, promover a manutenção do peso, otimizar o sistema cardiovascular, melhorar a postura e o condicionamento físico, praticar atividades físicas ajuda diretamente no controle da ansiedade, no aumento da disposição e no equilíbrio hormonal.

Neste momento que estamos em isolamento social e não é possível frequentar academias ou lugares onde grupos de pessoas se exercitam juntos, é possível, mesmo em casa, praticar exercícios aeróbicos, como a dança, por exemplo, que aumenta a produção de endorfina, que, por sua vez, é responsável por promover o prazer e o bem-estar. Para completar, essa categoria de exercício é capaz de aprimorar funções cognitivas, melhorando a memória e o raciocínio lógico. Assim sendo, não restam dúvidas de que a aeróbica faz bem não só para o corpo, como também para a mente.

Outras atividades como o alongamento e a yoga podem deixar a mente mais feliz e tranquila. O alongamento é uma atividade simples e muito poderosa para estimular a liberação da serotonina, um neurotransmissor que ajuda na promoção do bem-estar. Perfeito para aliviar as tensões, melhorar a postura e otimizar a flexibilidade e a respiração. O alongamento é um dos exercícios mais indicados para quem está estressado e deseja se acalmar. Como se não bastasse, promove a diminuição da rigidez muscular e a renovação das células.

Já a yoga é uma atividade que promove o relaxamento da musculatura, diminuindo problemas como insônia, nervosismo, irritabilidade, impaciência e ansiedade. Além disso, a yoga é um santo remédio para melhorar a postura, diminuir as tensões, otimizar a respiração e gerar o bem-estar holístico, uma vez que relaxa corpo e mente na mesma proporção.

 

Meditar e respirar com atenção

Praticar meditação tem benefícios bastante conhecidos. Como uma prática, trata-se de permitir que sua mente retorne ao estado natural – livre de distrações, pensamentos e “ruídos” em geral. Encontrar esse estado de “mindfulness” (atenção plena) é difícil, então pode demorar um pouco até que se consiga chegar lá.

Em um local sem distrações, sente-se com a coluna ereta, feche os olhos e inspire profundamente e, vagarosamente contando até 4. Ao expirar conte até 8, o mais lentamente possível. Toda vez que um pensamento, imagem ou som entrar na mente, procurar visualizar a si mesmo liberando esse pensamento e mantendo a mente o mais vazia possível. Estas sessões podem começar com apenas 2 minutos, e ir aumentando gradativamente conforme sua habilidade de manter a mente concentrada na respiração. Fazendo isso regularmente, aumentará a habilidade de se desprender de distrações e manter a mente clara, mesmo em situações de estresse.

 

Uma boa noite de sono e alimentos saudáveis deixam o dia mais leve

Dormir e se alimentar bem, parece uma sugestão óbvia, mas é fundamental. Avaliar como anda o humor, se ele tem flutuações durante o dia, percebendo se existe algum momento em que a alegria é maior, e entender que quando ela é menor, pode ser o resultado de excesso de informação que nos deixou muito estressado naquele dia. Geralmente, logo após o almoço, temos dificuldade em engrenar o pensamento e para lidar com tantas incertezas, inicialmente é fundamental dormir por mais horas e trocar o almoço pesado por uma versão mais leve e natural, fazendo intervalos curtos para comer algo, como frutas ou lanches saudáveis.

 

Pensamento positivo

Um dos componentes da Inteligência Emocional é a Flexibilidade Cognitiva, que tem relação direta com uma mente de crescimento, que enxerga saídas para situações difíceis, que consegue ver pontos positivos em momentos de crise. Tente perceber o que pode aprender com tudo o que está passando e acontecendo com o mundo, enxergue a situação de forma realista e mesmo que pareça difícil uma saída momentânea, não entre em pânico. Descubra qual a melhor forma de passar por tudo isso e lembre que nada que esteja ruim durará para sempre, tudo passa e daqui a alguns anos contaremos esse período de crise mundial para crianças que não viveram essa época.

 

Estabeleça uma rotina

Se não está indo diariamente para o trabalho ou escola, tente acordar no mesmo horário de costume antes dessa situação, criando uma rotina de trabalho. Se estiver em home office, tire o pijama após levantar e se prepare como se estivesse saindo de casa, para criar, na sua percepção, um ambiente profissional. Manter uma rotina ajudará o dia a acontecer de um jeito mais organizado e tranquilo.

Outra boa oportunidade neste momento de isolamento social é aproveitar para colocar as coisas em ordem. A arrumação do guarda-roupas, dos armários, dos arquivos do computador, cuidar das plantas da casa, é uma ótima forma de passar o tempo com qualidade, organizar tudo e deixar pronto o que é necessário para quando as coisas voltarem ao normal.

 

Aproveite para colocar em prática o que te faz bem

É importante evitar práticas que gerem mal-estar para seu corpo e mente, como o abuso de álcool ou drogas e tentar fazer atividades prazerosas e que te levem a conhecer mais de um tema, ou melhorem sua habilidade em algo que sempre quis e não tinha tempo. Há diversas instituições liberando cursos online gratuitos, tutoriais do estilo faça você mesmo na internet, sem contar com a leitura de um bom livro, ouvir uma boa música ou assistir as séries que há tempos está planejando pode te fazer desconectar um pouco desta pandemia e todas as suas recorrentes notícias.

 

É tempo de se conectar com as pessoas

Planeje seu dia com uma rotina e lembre de incluir nestas atividades um momento para conversar com os amigos e familiares de forma virtual e interagir com os que estão na sua casa. Seja para falar sobre trabalho, estudo ou como está se sentindo. Não se isole!

 

Como conversar com as crianças sobre este momento

A mudança na rotina, a distância de amigos e familiares, o excesso de informações e, principalmente, a preocupação, o medo e a incerteza que nos rodeiam também afetam as crianças dentro de casa.

É fundamental, então, explicar para elas o que está acontecendo, mas como contar?

Para esta conversa é importante que você esteja calmo, passando segurança para a criança. Comece perguntando se ela sabe o que está acontecendo. Escute o que ela tem a dizer e a partir daí acrescente, ou reforce as informações sobre o assunto.

Fale apenas o que vá fazer sentido para ela, considerando sua idade e nível de compreensão do mundo.

Lembre-se de utilizar uma linguagem que ela vá entender. Recursos lúdicos como desenhos, bonecos e histórias podem ajudar nessa missão.  Tenha uma fala honesta e clara. Caso não saiba responder alguma pergunta, busquem juntos pela resposta. E esclareça que médicos, cientistas autoridades tem buscado soluções para o quê está acontecendo.

Reforce que a melhor forma de proteger todo mundo (principalmente os mais velhos) é ficando em casa e seguindo as orientações de higiene. Nesse caso, dar o exemplo é essencial: mostre para a criança como lavar as mãos, como fazer para tossir e espirrar. Com músicas e colocando estas práticas na rotina de vocês ficará mais fácil e leve essas ações. 

Se a criança apresentar medo, insegurança e preocupação em relação a si e a seus conhecidos, reconheça estes sentimentos, esclarecendo que é normal se sentir assim nessa situação. Mostre que você está ouvindo e atento ao que ela está falando e sentindo.

Para ajudar as crianças a lidar com o estresse e insegurança deste período, estabeleça uma rotina para ela junto com a sua e façam brincadeiras para descontrair e relaxar.

Quando as crianças estiverem por perto, tome cuidado com as informações, vídeos e áudios sobre a situação do Covid-19. Muitas vezes elas não conseguirão processar o que está sendo veiculado, criando uma situação de estresse. Se mostre aberto e disponível para responder às dúvidas e preocupações da criança que possam surgir em outros momentos.

Cuide de você! Reserve um tempo para cuidar de si, de sua saúde mental. As crianças se sentirão mais seguras se você estiver calmo e confiante.

 

Preste muita atenção ao que sente

Se você está em tratamento médico, não pare a medicação e procure seu médico se perceber uma piora nos sintomas. Preste atenção em você, no que sente, tanto física quanto emocionalmente. Se não conseguir se desligar do medo e de tudo o que está sendo noticiado, se perceber que está extremamente sobrecarregado, ansioso, depressivo ou tendo pensamentos ruins, converse muito com amigos e familiares. Se perceber que não é o bastante, procure ajuda de um profissional, seja médico ou psicólogo. Nesta época de pandemia, muitos profissionais estão atendendo voluntariamente por meio virtual ou telefônico.

E lembre-se novamente, tudo isso irá passar.

 

Conte com o SESI-SP nessa jornada!