Educação ambiental e seu papel transformador de sociedades foi tema da cerimônia na Fiesp

O Guia será adotado nas 144 escolas do Sesi-SP pelos alunos do 6º ano até o 3º ano do Ensino Médio. Os docentes que trabalham com os alunos das 47 cidades que adotaram o sistema de ensino do Sesi serão capacitados e poderão usar o Guia

 Por: Mariana Soares, Agência Indusnet Fiesp
07/06/202116:31- atualizado às 16:43 em 07/06/2021

A primeira semana do mês de junho é marcada por ações, eventos e campanhas para reforçar junto à população e aos tomadores de decisões a importância da preservação dos nossos recursos e da necessidade de leis que garantam avanços, mas sem afetar de maneira negativa o ecossistema, ou seja, que permitam o desenvolvimento sustentável. Tudo isso porque no dia 5 de junho é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente. A data foi criada em 1972, na Assembleia Geral das Nações Unidas, e marcou a abertura da Conferência das Nações Unidas sobre o Ambiente Humano, que ficou conhecida como Conferência de Estocolmo.

Para celebrar a data e manter sua atitude protagonista no que diz respeito à conservação do meio ambiente, a Fiesp realizou um webinar durante a manhã desta terça-feira (1/6). Com o tema Educação Ambiental, o encontro on-line trouxe conceitos importantes para defesa do meio ambiente para as atuais e futuras gerações, o que é uma meta fundamental para a Humanidade. Durante a live, foi lançado o Guia de Educação Ambiental, uma publicação produzida pelos especialistas e técnicos do Conselho Superior de Meio Ambiente (Cosema), pelos docentes do Sesi-SP e editado pela Sesi-SP Editora.

À frente da Fiesp, do Ciesp, Sesi-SP, Senai/SP e Instituto Roberto Simonsen (IRS), Paulo Skaf fez questão de participar do webinar. Skaf explicou que o tema é bastante valioso para sua gestão e que, com o lançamento do Guia, as escolas do Sesi-SP passam a adotar os conceitos como disciplina a ser estudada pelos alunos do 6º ano do Ensino Fundamental até o 3º ano do Ensino Médio.

“A indústria de São Paulo prioriza a educação. Ao longo da minha gestão, nós construímos 1 milhão de metros quadrados de escolas do Sesi e do Senai. É formação de qualidade e em sentido amplo. Naturalmente, a educação ambiental é um pilar importante para o desenvolvimento dessas crianças. Não tenho a menor dúvida de que você dar conhecimento é o mais importante porque aquele aprendizado torna-se patrimônio daquela pessoa”, reforçou.

Eduardo San Martin, que preside o Cosema, traçou uma linha do tempo dos acidentes ambientais mundiais que suscitaram a criação da data e que também instigaram países estrangeiros a adotarem medidas para mitigar os prejuízos ao ecossistema, mas também a implementarem uma efetiva política de educação ambiental. “A formação a respeito da natureza transformou países em lugares desenvolvidos. Houve um avanço nessas sociedades baseado na formação ambiental”, disse.

O presidente do Cosema afirmou, ainda, que lançar o Guia de Educação Ambiental para marcar a celebração de um dia tão importante como este é algo para se emocionar. “É motivo de orgulho para todos nós, paulistas, fazermos parte da gestão do Paulo Skaf que tem foco no desenvolvimento baseado na educação”, completou.

Alexandre Pflug, superintendente de Educação do Sesi-SP, chamou a atenção para o fato de que o lançamento do Guia de Educação Ambiental é um projeto histórico para a entidade. Ele explicou que os técnicos e especialistas atenderam a uma orientação do presidente Paulo Skaf para que formulassem o documento que serviria de base para implementação da disciplina nas 144 unidades escolares do Sesi-SP, localizadas em 111 municípios do estado.

“Outro ponto super importante desta novidade é que os nossos professores receberão formação no assunto para trabalharem com o Guia durante as aulas. Nós também faremos a capacitação dos docentes que atuam com os alunos das 47 cidades que adotaram o nosso sistema de ensino”, relatou.

Skaf disse que a indústria de São Paulo prioriza a educação, sendo a educação ambiental um pilar importante para o desenvolvimento das crianças. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Roberto Xavier, gerente executivo de Educação do Sesi-SP, confirmou que a temática meio ambiente já estava presente nos materiais da entidade, uma vez que era determinação da nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC). No entanto, com a formulação do Guia e a formação dos docentes, a diretriz se concretiza e gerará efeito transformador.

“A gente só muda uma consciência quando aquele conceito se torna verdadeiramente significativo pra quem está aprendendo. O nosso objetivo com o Guia é dar mais ênfase aos assuntos que estão presentes em vários currículos da entidade dispondo de conteúdos simples, com uma linguagem direta e informativa, exercícios e quiz”, contou Xavier.

O Guia de Educação Ambiental do Sesi-SP abordará os seguintes temas: o que é educação ambiental, a importância da água, as diferentes fontes de energia e como economizar água e energia em casa, resíduos sólidos e coleta seletiva, arborização das cidades, a importância de priorizar a economia circular em detrimento da economia linear.

Laura Tetti, ex-diretora da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) e conselheira do Cosema, também participou do webinar. A especialista contribuiu para a formulação do Guia. “Educação ambiental é civilizacional. As pessoas precisam conhecer o que consomem em casa ou a natureza do que produzem, caso atuem na cadeia produtiva. Tenho uma sugestão: assim como os pais e responsáveis levam as crianças a um parque, pode ser interessante levá-las para conhecer um aterro de lixo ou outro equipamento ligado à manutenção do meio ambiente”, ressaltou.

Também para falar sobre o tema educação ambiental como fator de transformação da sociedade, John Tatton, conselheiro do Cosema, relembrou que o tema está na Constituição Federal e que precisa mesmo ser garantido à população. “Levar informação, promover o conhecimento, principalmente, através da formação de professores é super importante. O Sesi está de parabéns por criar esta mobilização social a partir das escolas e, dessa forma, promover o engajamento da sociedade”, disse.

Já Malu Freire, coordenadora de Educação Ambiental da subsecretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo, apresentou um contexto histórico da educação ambiental entre os anos de 1987 e 2021. Listou ações que ajudou a encabeçar como a formação ambiental com a imprensa, implantação de rodízio de carros, instalação de relógios que medem a poluição e a Operação Praia Limpa, que visava a distribuição de sacos para que os banhistas deixassem de jogar lixo na praia. “A educação ambiental deve ser tratada na escola, no setor público, nas universidades, nas empresas. Capacitação, mobilização, articulação institucional são palavras-chaves”, comentou.

O diretor titular do Departamento de Desenvolvimento Sustentável (DDS), da Fiesp e do Ciesp, Nelson Pereira dos Reis, relembrou que a realização de eventos reconhecendo a importância do Dia Mundial do Meio Ambiente é uma marca forte da Fiesp. “Sempre buscamos conhecer as visões do Poder Público, academia, sociedade civil e setor financeiro. Com pessoas conscientes e engajados nas questões ambientas poderemos promover o desenvolvimento sustentável, pontuou.

Clique para assistir a íntegra da live.

A temática meio ambiente sempre esteve presente nos materiais do Sesi-SP, mas com a formulação do Guia e a formação dos docentes, a diretriz se concretiza e gerará efeito transformador. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Leia também